O desperdício de comida: o que podemos fazer para acabar com ele em nossa casa

  • Desperdício de comida;
  • Reaproveitamento de comida;
  • Formas de aproveitar comida.

O desperdício de comida é mais um dos sinais alarmantes de como a desigualdade social afeta, direta ou indiretamente, a todas as pessoas.

Saiba mais

Tipos de especiarias usados na alimentação para dar um sabor especial

Alimentação saudável para nosso cérebro

Quando pensamos em aspectos mundiais, o desperdício de comida assume proporções que nos fazem realmente pensar em como estamos e porque estamos jogando tanta comida fora. Veja: todo ano se joga fora mais de um bilhão de toneladas de alimentos.

Enquanto isso, na outra ponta do negócio, mais de 800 milhões de pessoas passam fome. Esses dois dados, quando em comparação, nos fazem imediatamente ligar um sinal de alerta: como é que nós permitimos que tamanho descaso ocorra? E a resposta é bem simples: nós participamos ativamente dele.

Só em nosso país, atualmente, são mais de 14 milhões de pessoas que simplesmente não tem o que comer. Muitas pessoas que, em breve, lerão esse texto que nesse momento nós estamos escrevendo, estarão comendo alguma coisa enquanto buscam mais informação sobre o tema. E, certamente, muitas dessas pessoas também jogarão algum alimento fora, por ele estar já impróprio para o seu consumo.

Esse fato nos faz ponderar o seguinte: essa quantidade de comida que vai para o lixo representa, pelo menos, 22 bilhões de calorias. Essa quantidade seria capaz de alimentar pelo menos 11 milhões dos nossos 14 milhões de compatriotas que simplesmente não tem o que comer.

Parte responsável por essa equação maligna é a forma como produzimos nossos alimentos que, desde o processo inicial, já apresentam quantas absurdas de desperdício. Ou seja: é aquilo que não vai parar no mercado e nem na mesa de qualquer pessoa e que, ao mesmo tempo, não vai parar na mesa de quem mais precisa de comida.

Paralelamente a isso, dados do Sebrae indicam que a venda de produtos orgânicos cresce 20% ao ano no Brasil e já temos cadastradas 15 mil propriedades com selos de produção desse tipo de alimento. Dessas 15 mi, 75% representa a proporção do trabalho resultante da agricultura familiar, que é vendido diretamente ao consumidor.

Nessa modalidade, onde se compra diretamente de quem produz, o desperdício é reduzido significativamente. A comida chega mais rápido, mais saudável e mais limpa a quem a quer e o dinheiro proveniente dela chega mais rápido a quem a produziu, estabelecendo uma forma saudável de consumo e de alimentação.

Como ocorre o desperdício na etapa da produção do alimento

Na colheita

Quando, de repente, há uma baixa no valor do alimento no mercado, o produtor deixa de investir na colheita e o alimento acaba por perecer no próprio pé, alimentando a terra.

Na armazenagem

Se o alimento não é armazenado em condições plenas de biossegurança, muitas vezes atrai fungos e pragas que acabam por comprometer uma grande parte da produção, enviando tudo para o lixo.

No transporte

Por conta do transporte rodoviário que nem sempre é feito em perfeitas condições, os produtos mais sensíveis como as frutas e as verduras acabam sofrendo com o impacto e as condições de armazenagem. Assim, chegam ao mercado já fora do padrão de venda, indo do caminhão para o lixo sem nem passar pelas gôndolas.

Na distribuição

Quando não existem condições de armazenagem adequadas durante o tempo de estocagem intermediária – quando o produto fica aguardando a distribuição para o local de venda -, há uma grande perda de qualidade e, novamente, mais desperdício.

No mercado

Quando o produto fica aguardando por muito tempo a sua venda, há também a degradação causada tanto pelas condições de exposição e manuseio frequente, o que podem causar depreciação do alimento.

Na cozinha

Quando nos falta conhecimento para poder aproveitar o alimento do começo ao fim, acabamos levando boa parte dele para o lixo. Partes que, inclusive, podem ser mais nutrientes do que o que temos por hábito utilizar.

O que podemos fazer para evitar o desperdício

Antes de ir ao mercado, planeje suas compras

O ideal é sempre fazer um planejamento que envolva a produção de um cardápio semanal. Assim se pode fazer uma comida que envolva exatamente tudo o que for comprado, sem que se gere acúmulo e, consequentemente, desperdícios.

No mercado, sempre seja focado

A regra é: perecíveis antes – e que são, geralmente, mais pesados – e depois tudo aquilo que depende de refrigeração. Por fim, o que for fruta, verdura e alimentos que amassam facilmente.

Não compre excessivamente

É melhor sempre comprar pouca quantidade e depois ir repondo conforme for necessário. Nada de ir entupindo fruteira e geladeira e depois jogar tudo no lixo.

Na despensa

Quando você for organizar a despensa ou o armário, essa dica é de ouro: o que está há mais tempo no armário deve sempre ficar na frente dele. Isso faz com que nada vá para o lixo porque simplesmente venceu.

Congele alimentos

Se você achar que não vai conseguir consumir algum alimento antes que ele vá para o lixo, aproveite o freezer e o congele. Ele vai estar ali prontinho para você usar quando quiser e puder.

Recupere os alimentos

Aquela folha que está murcha pode rapidinho voltar a um bom estado para o seu uso se deixada por um tempo em imersão com uma boa quantidade de água e gelo.

Experimente

Aquelas folhas mais amareladas podem muito bem virar um belo molho pesto. Experimente novas receitas e enriqueça sua cozinha!

O que achou? Dê uma nota:

Avaliação média: 4.67
Total de Votos: 3

O desperdício de comida: o que podemos fazer para acabar com ele em nossa casa

Gostou deste artigo? Veja mais como estes curtindo nossa página no Facebook:

2 respostas para “O desperdício de comida: o que podemos fazer para acabar com ele em nossa casa”

  1. […] Acabe com o desperdício de comida na sua casa e economize […]

  2. […] Acabe com o desperdício de comida em sua casa hoje mesmo […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *