Por que não consumir essas frutas?

Sinônimo de alimentação saudável e riqueza nutricional nem sempre as frutas são uma boa pedida. O Brasil é um dos países com maior concentração de agrotóxicos em sua lavoura, o que acaba gerando um problema em enormes proporções, visto que o país é um poderoso exportador.

Aprenda a fazer marmitas que podem ser consumidas frias 

Por que ter óleo de rícino em casa? O Arteblog te explica

De olho na quantidade de agrotóxicos presentes na produção de frutas e hortaliças o Programa de Análise de Resíduos e Agrotóxicos, (PARA), da ANVISA determina a quantidade máxima de agrotóxicos que pode ser ingerida sendo considerado sem grandes malefícios para o ser humano.

Pesquisas Comprovam

Pesquisas realizadas nos EUA, apontam, contudo que o cérebro humano não está totalmente formado até os 12 anos e que a exposição a pesticidas pode ter impactos negativos no processo de formação. Pesquisa realizada pela Escola de Saúde Publica de Berkeley afirma inclusive que uma criança exposta ao consumo de alimentos com altas concentrações de agrotóxicos tem 6x mais probabilidade de desenvolver o Transtorno de Espectro Autismo.

O crescimento populacional e a necessidade cada vez maior de obter excelência na agricultura tem dado ao Brasil o posto de país que mais faz uso de agrotóxicos em sua produção.

Só vai piorar…

Os pesticidas usados na lavoura além dos impactos ambientais já conhecidos (contaminação do solo, e dos lençóis  freáticos) favorece o aparecimento de pragas mais resistentes, transformando o consumo e aplicação de agrotóxicos e pesticidas em um ciclo vicioso. Pragas, e insetos naturalmente passam por uma seleção natural, ficando mais resistentes aos produtos utilizados aumentando assim, a concentração utilizada.

Mal de Parkinson, Alzheimer e outras doenças

Para os seres humanos, os pesticidas têm impactos diferentes, que vão desde o desenvolvimento de déficit de atenção, hiperatividade, problemas de memória, problemas respiratórios, depressão, doenças congênitas, Mal de Parkinson e Alzheimer.

Embora o consumo de alimentos de origem orgânica seja sempre o mais indicado, seu valor de mercado é alto e nem sempre acessível a todos. Por isso fizemos aqui uma lista das frutas que devem ser evitadas ao máximo se não forem de origem orgânica.

Morango é uma das frutas com a maior concentração de agrotóxicos

frutas-morango

Morango por ser extremamente sensível e de difícil cultivo sua produção é cercada pela exacerbada utilização de agrotóxicos e pesticidas.

Maçã

maca-frutas

Que a casca das frutas contém maior concentração de nutrientes que a fruta muitas vezes, isso não é novidade. É o caso da maça, onde sua casca traz inúmeros benefícios e tem ainda propriedades curativas. Contudo, a maça é um dos alimentos com maior concentração de agrotóxicos, juntamente com o morango. Uma opção no caso da maça é olhar o entorno do cabo da fruta, caso apresente manchas ou acúmulo de resíduos brancos a fruta foi exposta a agrotóxicos.

Tomate

frutas-tomate

A terceira fruta rica em agrotóxicos é o tomate. Segundo a ANVISA, 45% do tomate consumido no país foram cultivados com o uso de agrotóxicos. No caso do tomate, ao contrário do morango e da maçã, o pesticida utilizados concentram-se na polpa do fruto. Prefira tomates maduros onde a concentração de agrotóxicos é menor, visto que ela começa a se perder com o tempo.

Como diminuir o risco do agrotóxico

Embora seja considerado um verdadeiro veneno, essas frutas são indispensáveis para o como humano e nem sempre podemos optar por sua versão orgânica. Uma dica que pode atenuar a presença de agrotóxicos é uma mistura de bicarbonato de sódio e água.

Você vai precisar de:

  • 1 l de água;
  • 1 colher (sopa) de bicarbonato de sódio;

Preparo

Misture o bicarbonato à água e mergulhe as frutas. Deixe por cerca de 20 minutos. Enxágue e seque em papel toalha antes de guarda-las na geladeira.

O que achou? Dê uma nota:

Avaliação média: 4
Total de Votos: 4

Por que não consumir essas frutas?

Gostou deste artigo? Veja mais como estes curtindo nossa página no Facebook:

2 respostas para “Por que não consumir essas frutas?”