Síndrome de bureout: o que é e como você deve lidar com ela?

  • O que é Síndrome de bureout?
  • Quais os sintomas?
  • Qual o papel da empresa em quem tem bureout?

Você já ouviu falar da Síndrome de bureout? Apesar de não ter o seu conceito lá muito conhecido esse quadro é muito comum, infelizmente. Aliás, pode inclusive estar acontecendo com você nesse exato momento. Se você não tem ideia do que vem a ser o problema, nós podemos te ajudar.

Aqui reunimos informações sobre o que vem a ser a síndrome e como lidar com ela. Adiantamos que ela acaba se parecendo bastante com a Burnout.

Leia mais

5 inspirações do cinema para decorar sua casa

Manteiga ou margarina: qual é mais saudável e por quê?

Antes de efetivamente começarmos vamos imaginar a seguinte situação. Você está super empolgada com um novo trabalho que conseguiu e no qual começará em breve. Você sabe que será repleto de desafios, conquistas, promoções, escolhas difíceis e você está preparada para tudo isso. Mas o que acontece é mais que decepcionante. Passa semana atrás de semana e você não se sente valorizada, não se sente capaz de fazer algo realmente desafiador na empresa.

Quando você se dá conta, o seu trabalho se torna apenas horas que você passa confinada em um local que não gosta, contando as horas para ir embora. Até ai tudo relativamente bem. Essa é a realidade de muitos trabalhadores brasileiros que acabam se submetendo a trabalhos que definitivamente não gostam.

Mas esse desgosto pelo trabalho pode chegar a comprometer a sua saúde mental.

O que é Síndrome de bureout?

bureout

Até o nome se assemelha a burnout, não é mesmo? Mas será que elas tem algum tipo de relação? O fato é que essa síndrome diferentemente da burnout que expressa um quadro depressivo geral, a bureout leva o indivíduo a sentir tédio unicamente em seu trabalho.

Ou seja, em outras palavras ele não sente prazer em suas atividades laborativas e o trabalho se torna de fato um verdadeiro fardo a ser carregado.

A palavra bureout vem do inglês bored que significa tédio ou entediante e quando levada expressamente ao ambiente de trabalho manifesta esse tédio do indivíduo para com suas atividades de trabalho. E não pense que a síndrome está propensa a acometer apenas colaboradores que possuem muitos anos de casa, pelo contrário.

A Síndrome de bureout pode ocorrer até mesmo em colaboradores recém contratados quando descobrem que as características informadas no momento da contratação não correspondem com as atividades propostas a ele diariamente na rotina da empresa.

Os sintomas iniciais da Síndrome de bureout

A Síndrome de bureout segundo estudiosos que se dedicam a estudá-la apresenta sobretudo três sintomas que são os principais e igualmente os mais comuns.

No primeiro deles o funcionário passa a exigir muito pouco de si mesmo e por consequência acaba realizando apenas as atividades minímas para não ser dispensado. Quando menos se dá conta já está no terceiro sintoma do quadro, total desinteresse e aborrecimento quanto o trabalho e o ambiente em si.

Além destes sintomas os pacientes que eventualmente estejam enfrentando a síndrome podem sofrer com quadros de irritabilidade, problemas de pele, insônia e ansiedade.

O papel da empresa

bureout

Comumente em muitos casos ao ter a solução quanto ao tédio no trabalho outros sintomas adjacentes tendem a ser atenuados até desaparecem totalmente. Por isso é fundamental investir em alternativas que visam reduzir o tédio dos colaboradores no ambiente de trabalho.

Uma das maneiras de fazer isso é tendo uma conversa sincera com seus superiores de modo que eles entendam a situação. Embora você possa ser o primeiro a efetivamente levar essa questão a diretoria muito provavelmente em algum outro momento alguém sofreu ou sofrerá com a bureout.

É papel da empresa diminuir o sentimento de tédio, estresse e desinteresse dentro das organizações.

Gostou deste artigo? Veja mais como estes curtindo nossa página no Facebook: