Memória: fatos que você desconhece sobre o assunto

 

  • Memória: conheça um pouco mais desta fantástica capacidade humana
  • Sua memória pode falhar mais cedo do que você imagina
  • Será que a nossa capacidade de memorização melhora ou piora com a idade? Descubra aqui

Sabemos que a memória é importantíssima para a nossa convivência social. Isso não é mistério, nem segredo para ninguém. Mas você sabia que a boa capacidade de memorização é uma condição genética? Ou seja, se você memoriza facilmente essa é uma característica herdada de seus pais ou de algum parente próximo. Outra curiosidade interessante sobre a nossa memória é que quando estamos sob uma situação de estresse a memoração acaba sendo severamente prejudicada. Mas não para por ai, reunimos aqui mais curiosidades interessantes sobre o assunto.

Leia mais

Pesadelos frequentes podem indicar uma doença

Chá de orégano: conheça os benefícios da bebida

A memória pode sim falhar muito cedo

Quando você acha que o nosso cérebro pode começar a apresentar problemas de memorização? A partir dos cinquenta anos? Sessenta? Setenta? E se te disséssemos que as falhas de memoração podem começar muito mais cedo, ainda na casa dos vinte? É verdade, veja. Quando precisamos recorrer ao acervo de nossa memória o nosso cérebro realiza diversas reações químicas entre os neurônios que são denominadas de sinapses. Estas sinapses são estabelecidas desde uma simples questão como a nossa última refeição quanto a lembrar de uma determinada pessoa em si.

Pessoas que apresentam comportamentos nocivos como sedentarismo, uso excessivo de álcool ou consumo de cigarros podem apresentar capacidade de memorização prejudicada já a partir dos vinte anos. Bem abaixo do imaginado, não é?

A memória melhora com a idade, será?

memória

Certamente essa é outra curiosidade da memória que você desconhecia até agora. Embora haja a crença de que a capacidade de acessar os arquivos e as habilidades adquiridas piore com a idade não é o que um estudo recente norte-americano afirma. Segundo os dados obtidos por meio de uma pesquisa com voluntários entre 30 a 95 anos, o melhor desempenho cognitivo relacionado ao acesso à memória estaria entre os sessenta e setenta anos. Ainda de acordo com o estudo, essa capacidade melhoraria potencialmente já a partir dos quarenta anos.

De acordo com os pesquisadores envolvidos com a tese os jovens teriam a capacidade de buscar rapidamente estes arquivos cerebrais, mas pelos múltiplos estímulos aos quais está exposto acaba se perdendo no caminho. Em síntese isso prejudicaria o seu desempenho significativamente, dando aos idosos um resultado muito melhor em tempo de resposta.

A nossa capacidade de armazenamento de informações é comprometido em situações de traumas

memória

Você já passou por uma situação de estresse extremo e/ou trauma? Se não, já deve ter visto em algum filme ou série o personagem ter dificuldades para lembrar de algo neste caso. Isso é algo totalmente normal e comum de ocorrer. Quando estamos em situações de perigo nosso cérebro concentra toda a sua capacidade cognitiva para a sua sobrevivência. Desta forma, apresenta dificuldades para armazenar qualquer tipo de informação ou detalhes do ocorrido. O que sabemos acaba gerando um lapso nas lembranças sobre o trauma ou a situação de estresse.

A sua cabeça é como uma grande biblioteca

memória

Sabia que não lembrarmos o nome de alguém ou de alguma coisa mesmo tendo a sensação de que está na “ponta da língua” é comum? Segundo pesquisadores isso seria até mesmo fácil de ser explicado o porquê de sua ocorrência. Ao que tudo indica quanto mais arquivos armazenados em seu cérebro maior é o tempo para conseguirmos acessar o arquivo certo na ocasião em que ele é requisitado. Neste caso, vale a dica de respirar fundo, não se desesperar e concentrar-se. A informação pode demorar um pouco a ser localizada, mas ela retornará e você poderá se utilizar dela.

Gostou deste artigo? Veja mais como estes curtindo nossa página no Facebook: