Apendicite: saiba o que é, como acontece e tratamento

  • Inflamação do apêndice
  • Sintomas do apendicite e riscos para o paciente
  • Como o tratamento é feito?

Hoje falaremos de um problema que é mais comum do que imaginamos, infelizmente, a apendicite. O que vem a ser, como acontece e principalmente como o tratamento é feito.

Leia mais

Exercícios para você fazer em casa durante o isolamento

Gengivite: problema silencioso pode levar a perda dos dentes

Apendicite: problema pode levar o paciente a óbito em algumas horas

Pode parecer exagero, mas um quadro inflamatório-infeccioso relacionado a apendicite pode evoluir e em poucas horas resultar na morte do paciente. Por isso antes de prosseguirmos, é fundamental que o paciente que apresentar dor extrema na região direita do abdômen, um pouco abaixo da linha da cintura, seja imediatamente encaminhado a uma unidade de saúde para atendimento médico.

Voltando a falar especificamente das características do quadro, a apendicite consiste na inflamação do apêndice. O apêndice é um órgão localizado na primeira etapa do intestino grosso, denominado ceco, e o que se sabe até o momento suas funções são desconhecidas.

A inflamação do órgão ocorre normalmente pela obstrução do mesmo por meio do acumulo de dejetos, podendo até mesmo ser restos fecais.

A dor e a falta de apetite são os sintomas mais comuns da apendicite

apendicite

O quadro de apendicite é mais comum em adultos entre vinte e trinta anos e além da dor característica do lado direito, na parte baixa do abdômen, a falta de apetite costuma se manifestar.

No caso da dor, é uma dor localizada e contínua. Embora comece de maneira leve, vai progressivamente aumentando. Concomitantemente pode ocorrer o colapso do sistema digestivo, com a parada do intestino grosso. O órgão simplesmente para de funcionar. Outros sintomas observados foram, febre, apatia, náuseas e vômito.

O diagnóstico médico e o tratamento do quadro

apendicite

A apendicite é difícil de ser diagnosticada, mas como há risco para o paciente, em caso de forte suspeita do quadro inflamatório-infeccioso o mesmo é encaminhado para a mesa de operação. Inicialmente é analisado a história do paciente e o profissional pode analisar a região do abdômen. A realização de uma tomografia ou ultrassom pode auxiliar e muito no diagnóstico do quadro.

O tratamento apenas em alguns casos pode ser feito por meio clínico. Na maioria dos casos a indicação médica para o tratamento é por meio da cirurgia na qual o órgão é inteiramente retirado. A cirurgia é um procedimento simples e a cicatriz é quase imperceptível. O procedimento de intervenção também pode ser feito por meio da laparoscopia.

Ressaltamos novamente, acima de tudo, que ignorar o quadro de apendicite pode culminar em óbito em poucas horas. Por isso, procure imediatamente atendimento médico em caso de dor aguda e contínua do lado direito. E não se recuse a ficar hospitalizada até que os resultados dos exames saiam. A depender do quadro você precisará ser submetida a uma cirurgia de emergência.

As dúvidas mais frequentes sobre apendicite

apendicite

Uma dúvida muito corriqueira em relação a este quadro é quanto ao apendicite em crianças. “É possível que o meu filho sofra com apendicite?” Mesmo não sendo comum, crianças podem sofrer com a inflamação do apêndice e neste caso a descrição dos sintomas é mais difícil, o que pode atrasar o diagnóstico.

Os pais ou responsáveis devem ficar sempre atentos quanto a dor contínua do lado direito próximo ao umbigo da criança e também rigidez e inchaço em sua barriga. No caso de suspeita de inflamação deve-se procurar ajuda médica imediatamente.

Outra dúvida similarmente muito comum relacionada com a apendicite diz respeito ao termo apêndice supurada. Este termo é utilizado a fim de referir-se ao rompimento do órgão devido ao quadro inflamatório, o que pode levar a infecção generalizada.

O que achou? Dê uma nota:

Avaliação média: 4
Total de Votos: 1

Apendicite: saiba o que é, como acontece e tratamento

Gostou deste artigo? Veja mais como estes curtindo nossa página no Facebook: