Bromidrose axilar: saiba como tratar o problema

  • Conheça a bromidrose
  • Quais as causas para o mau odor?
  • É possível tratar?

Se pedíssemos para que você imaginasse uma pessoa suando, ou melhor, inteiramente suada, você imaginaria um odor vindo desta pessoa? Há quem acredite que o suor é o responsável pelo mau odor e que consequentemente uma pessoa suada estaria com odor desagradável, mas não é exatamente o suor que causa este cheiro.

Leia mais

Veja dicas de como abandonar maus hábitos

Coronavírus: dá para prevenir por meio da alimentação?

Bromidrose Axilar: entenda

bromidrose

Ao contrário do que muita gente pensa, o suor não tem um cheiro desagradável. Na verdade, nem mesmo chega a ter um cheiro. O cheiro que sentimos em algumas pessoas quando elas transpiram, ou mesmo em nós, é resultado da ação das bactérias presentes na pele.

As bactérias presentes em nossa pele, principalmente em regiões muito úmidas e quentes assim que entram em contato com o suor produzido naturalmente pelo nosso corpo metaboliza algumas substâncias. É a partir desta metabolização que temos o problema da bromidrose. As bactérias neste processo acabam por produzir alguns gases como o ácido isovalérico e o metanotiol que são sim muito desagradáveis.

São estas substâncias produzidas pelas bactérias que geram o cheiro tão desagradável, não o suor em si. Entretanto, a bromidrose possui tratamento, podendo ser totalmente eliminada com mudanças de hábitos. Para tanto é preciso conhecer as suas causas.

Tenho bromidrose, por quê?

bromidrose

Se você tem bromidose, mas não tem a mínima ideia do porque, você está no lugar certo. Antes de entendermos como a bromidrose é ocasionada, vamos conhecer um pouco sobre o nosso mecanismo de transpiração. Transpiramos de maneira totalmente involuntária, não sendo algo controlado por nós consistentemente. Este fato ocorre por conta das mais de cinco milhões de glândulas sudoríparas presentes em nossa pele.

Estas glândulas são divididas em dois grupos distintos. São as glândulas écrinas e as apócrinas. As glândulas écrinas auxiliam de maneira ativa na regulação da temperatura corporal e começa a funcionar desde o momento em que nascemos. Produzem um composto praticamente com noventa porcento de água. As glândulas apócrinas começam a funcionar apenas com a puberdade e o líquido que produzem é uma mistura de carboidratos, proteínas e lipídios. Por natureza, este líquido produzido não possui odor. O problema é que estas glândulas apócrinas estão localizadas nas regiões mais quentes e úmidas de nosso corpo, como as axilas e os pés.

Nestas regiões a proliferação de bactérias é mais elevada e em contato com o suor estas mesmas bactérias produzem o odor tão desagradável que conhecemos.

Não se sabe até então o que causa este problema. Entretanto, sabe-se que algumas atitudes podem agravar o quadro da bromidrose. Dentre estes comportamentos está o consumo de alimentos muito condimentados, alho, álcool (consumido de maneira excessiva), cebola, dentre outros.

Bromidrose: como tratar o problema

bromidrose

Se você identificou que sofre com a bromidrose, separamos aqui algumas dicas de como vencer o problema que pode ser de fato muito desagradável. Uma dica importantíssima no que diz respeito ao combate do bromidrose é a higiene destas regiões. Mantendo-as sempre bem limpas e secas.

O uso do desodorante antitranspirante, aliás também pode contribuir positivamente para reverter o quadro. No caso do desodorante, eles podem agir de duas maneiras diferentes. Uma delas é coibindo a presença de bactérias na região por meio de sua função anti-séptica. A outra é que por meio do cloridróxido de alumínio você fica protegida. Com este composto é criado um tipo de gel que acaba retardando o suor, deixando a pele seca e impedindo a ação das bactérias.

Uma medida que também pode ajudar é a troca diária das peças de roupa e a preferência pela utilização de peças de algodão, que é um tipo de tecido natural e que ao contrário de outros materiais não impede sobretudo a evaporação do suor.

O que achou? Dê uma nota:

Avaliação média: 0
Total de Votos: 0

Bromidrose axilar: saiba como tratar o problema

Gostou deste artigo? Veja mais como estes curtindo nossa página no Facebook:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *