Dicas do que não fazer em casos de queimadura

  • Quem mais sofre com queimaduras
  • Nada de superstições nesta hora
  • Não manuseie demasiadamente o local afetado

Se tem algo que certamente dói é sem dúvida uma queimadura. Quem já se queimou sabe que a sensação pode parecer dolorosa. Maior do que qualquer outro tipo de ferimento contra a nossa pele. Mas e quando falamos em acidentes dessa natureza com nossos pequenos?

Pode não parecer mas à ocorrência de queimadura é a segunda maior causa de internações. Isso em crianças e pré-adolescentes de zero a catorze anos.

Para se ter uma ideia de como a ocorrência de queimaduras é elevadíssima, cerca de vinte e cinco mil crianças e adolescentes foram internados por conta de queimadura no último ano.

Leia mais

Nossos pets e o seu bem-estar em nossa casa

Solidão demais pode fazer mal a saúde?

Quando pensamos em crianças é preciso ainda mais atenção uma vez que a pele destes pequenos é mais sensível que a de nós adultos. Para se ter uma ideia, uma criança de até cinco anos pode ter uma queimadura de terceiro grau apenas se expondo rapidamente a uma temperatura acima de 60º.

Quem tem filho sabe que os cuidados para evitar queimaduras devem ser redobrados e algumas medidas preventivas devem ser adotadas. Entretanto, praticamente não conseguimos evitar completamente que acidentes ocorram. E principalmente no caso de queimaduras há muitas superstições e mitos envolvidos que além de não aliviar a dor, podem prejudicar o processo de cicatrização. Vale ressaltar aqui que muitas vezes o caso de queimadura pode acabar trazendo cicatrizes horríveis e permanentes. Desta forma, todo cuidado é pouco.

Não aplique nada sobre a região

Uma ideia que é muito difundida é de que se deve passar algo sobre uma região que fora queimada. E as ideias do que passar variam bastante. Desde pasta de dente a manteiga, gelo e qualquer outro tipo de pomada.

Mas este é o primeiro erro, quando pensamos em tratamento para queimadura. Isso porque não é indicado à aplicação de nada sobre a região afetada por uma queimadura, seja ela de qual grau for. O mais indicado, nestes casos é a lavagem do local com água corrente, em temperatura ambiente. Jamais utilize água gelada em suas queimaduras. A água atua permitindo que a temperatura da região gradativamente diminua, fazendo com que menos camadas da pele sejam atingidas. É por meio das camadas de pele que são atingidas que determina-se o grau da queimadura. A pele queimada, seja ela de uma criança ou de um adulto, fica extremamente sensível e por isso todo cuidado é essencial para evitar infecções.

Nada de mexer nas bolhas

Algumas queimaduras a depender do seu grau, formam bolhas na região. Essas bolhas servem para proteger o local afetado pelas altas temperaturas. Desta forma, em hipótese alguma se deve estourar ou furar as bolhas que se formam, ou venham a se formar em sua queimadura. Naturalmente no processo de cicatrização elas tendem a sumir, não se preocupe. Cutucar a região nunca será a melhor das opções.

Não atue sozinha em queimadura gravequeimadura

Em caso de ocorrência de queimadura e a roupa da vítima, ou qualquer outro tipo de material venha a ficar grudado na queimadura, jamais o retire. Esse trabalho deve ser feito por um profissional da área médica de um hospital. Ou alguém com extremo conhecimento adotando todos os procedimentos necessários. Isso porque tentar retirar ou desgrudar uma peça de roupa ou qualquer outro tipo de material em uma queimadura pode provocar o rompimento das bolhas de proteção do local. E como se não bastasse neste procedimento feito de maneira inadequada pode ser que você acabe arrancando partes da pele da vítima.

O que achou? Dê uma nota:

Avaliação média: 5
Total de Votos: 2

Dicas do que não fazer em casos de queimadura

Gostou deste artigo? Veja mais como estes curtindo nossa página no Facebook:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *