Cancêr de pele: tudo o que você precisa saber sobre a doença

  • Câncer de pele no Brasil e os números alarmantes
  • A importância da proteção contra os raios solares
  • Câncer melanoma

Desde o final de dezembro estamos em uma das estações mais apreciadas. Estamos falando do verão, marcado por altas temperaturas, atividades ao ar livre, viagens a praia e acampamentos. Todos atrás do bronzeado perfeito. Apesar deste clima de festa e alegria, segundo dados divulgados pelo Instituto Nacional de Câncer, o INCA, atualmente temos cerca de cento e oitenta mil novos casos de câncer de pele em nosso país. Dados de câncer do tipo não melanoma que é o menos letal e o mais comuns quando falamos de câncer de pele.

Leia mais

Doença de Lyme: conheça a patologia do cantor Justin Bieber

Veja possíveis motivos do porque você não emagrece

Dezembro Laranja e a exposição aos raios solares

A Sociedade Brasileira de Dermatologia instituiu o chamado dezembro laranja que visa destacar a importância da prevenção do câncer de pele e o seu diagnóstico precoce. Segundo dados cerca de noventa por cento dos casos de câncer do tipo não melanoma é resultado da exposição inadequada aos raios ultravioletas. Tanto é que inclusive as áreas com maior incidência de tumores são as regiões com exposição prolongada e crônica a estes raios. Como, por exemplo, braços e pernas. E engana-se, entretanto, quem pensa que apenas a utilização do protetor solar basta para a proteção de nossa pele.

Quando falamos que apenas o protetor não ser o bastante é devido a uma recomendação do INCA, onde se espera que seja evitada a exposição prolongada aos raios ultravioletas no período compreendido entre 10h da manhã e às 16h da tarde. Se caso você não tem opção, e a exposição é inevitável use sempre o protetor solar que é um ponto importante de proteção. Além do protetor solar use também roupas adequadas, óculos de sol, guarda-sol e bonés.

Câncer de pele: Não se esqueça do lábios

câncer de pele

Muitas vezes acabamos concentrando a nossa preocupação em nossa pele e nos esquecemos de um ponto igualmente importante. Os nossos lábios. Os nossos lábios também precisam de atenção e proteção especial para evitar fissuras na pele desta região que é sensível. Além disso, a exposição sem proteção pode causar o desenvolvimento de rugas precoces e até mesmo câncer.

O tratamento do câncer de pele varia de acordo com cada paciente

O tratamento mais utilizado para o tratamento do câncer de pele é a cirurgia. Entretanto, outros métodos podem ser adotados de acordo com o critério do seu médico. Para tanto é considerado dentre outras coisas o tamanho do tumor, o tipo de câncer e também analisa-se as lesões causadas. Além do procedimento cirúrgico podem ser adotados a radioterapia, a utilização de quimioterápicos e a terapia fotodinâmica.

Peles claras são mais susceptíveis ao câncer de pele

câncer de pele

Pessoas que apresentam a pele mais clara bem como olhos claros, possuem menos pigmentos na pele e consequentemente possuem menor proteção contra a radiação dos raios ultravioletas. Estas pessoas também apresentam uma quantidade significativamente menor de melanina e estão igualmente mais vulneráveis a queimaduras causadas pelos raios UVB.

Os raios UVA são menos perigosos, por assim dizer, que os raios UVB, todavia promovem o envelhecimento precoce da pele.

O câncer de pele do tipo melanoma

câncer de pele

O câncer de pele melanoma que corresponde a cerca de cinco por cento dos casos é muito severo, mas o seu desenvolvimento não está relacionado com a exposição solar. Tanto é que as regiões afetadas costumeiramente não são áreas tão expostas ao sol como, por exemplo, os dedos, as nádegas, o couro cabeludo, dentre outras similares. Os fatores de risco para este tipo são: histórico familiar, muitas pintas pelo corpo (sim, muitas pintas pode aumentar as chances de desenvolvimento da doença), além de pele clara ou albina.

Gostou deste artigo? Veja mais como estes curtindo nossa página no Facebook: