Por quê precisamos falar sobre candidíase?

  • Entenda o que é a candidíase
  • Sintomas
  • Meios de prevenção a doença

Você certamente já deve ter ouvido falar sobre candidíase, mas você sabe de fato do que se trata o problema e sobretudo como se prevenir e cuidar?

Leia mais

Café para crianças: é seguro ofertar a bebida?

Acne adulta: prevenção, tratamento e o que é?

A candidíase consiste em uma doença fúngica infecciosa causada pelo fungo Candida albicans. Comumente o fungo se aloja na região genital gerando secreção, coceira e inflamação. Além desses sintomas, por envolver a área genital acaba sendo um tabu, mas precisa de atenção.

Conhecendo a candidíase

A candidíase é um quadro comum em mulheres visto que o fungo causador do quadro vive na flora vaginal. Normalmente o mesmo vive em nosso corpo sem causar danos de maneira alguma, todavia quando há desequilíbrios pode acabar aumentando significativamente a sua população e acabar causando danos e sintomas adversos como os que vimos logo no início.

A candidíase acaba sendo mais comum em períodos em que a imunidade da mulher está debilitada. Isso porque a baixa imunidade permite que a população de Candida albicans se desenvolva descontroladamente. Nesse cenário se faz necessário a intervenção medicamentosa.

Pessoas que apresentam um sistema imunológico extremamente debilitado, podem sofrer com um quadro de candidíase na boca, sim o famoso sapinho consiste em um quadro de candidíase na boca, tão como na garganta e também na pele.

Sinas, sintomas e fatores de risco para a candidíase

candidíase

Quando a candidíase é na boca, sobretudo na região da garganta um dos sintomas mais comuns acaba sendo a dor ou dificuldade para engolir que merece atenção. Ainda em relação ao quadro quando manifesto na boca aftas são muito presentes e podem facilitar o diagnóstico.

Quando manifesta no homem o quadro se caracteriza por uma extrema vermelhidão no pênis e uma nata esbranquiçada em sua ponta.

Para o caso da mulher acaba sendo comum a presença de fissuras que podem lembrar muito bem assaduras, além de um presente corrimento esbranquiçado.

Entre os principais fatores de risco para o desenvolvimento da candidíase está sobretudo manter relações sexuais sem preservativo. Sexo sem proteção expõe ambas as partes as diversas doenças além da candidíase.

Outros fatores de risco: diabetes, obesidade, gravidez, muito tempo com biquíni ou maiô molhado, uso prolongado de antibióticos, roupa íntima apertada ou produzida com material sintético e doenças imunológicas.

Como podemos prevenir a candidíase?

candidíase

Vimos que a candidíase pode acabar se tornando extremamente incomoda e desconfortável para o seu portador, além claro de muito dolorosa. Desta forma se faz necessário buscarmos meios de prevenir a manifestação do quadro.

A principal dica quanto a prevenção acaba sendo justamente manter relações sexuais sempre com proteção, com o uso de camisinha. Além disso, a higiene da região vaginal deve ser feita de maneira adequada com sabonete com ph neutro.

Sempre que puder opte por calcinhas de algodão que podem ajudar a reduzir a manifestação de quadros de candidíase. Além disso, evite o uso de absorventes todos os dias e permanecer muito tempo com roupa úmida ou molhada.

Diagnóstico e tratamento

candidíase

Quando identificada uma eventual alteração no órgão genital ou mesmo na boca (para o caso da candidíase na região oral), um médico deve ser consultado. No dia da consulta o médico indaga o paciente acerca dos sintomas que acompanham essa eventual alteração e faz uma coleta desse material para ser analisado em laboratório a fim de identificar qual o fungo causador do quadro.

Com isso o médico pode fazer a prescrição de um creme de uso local normalmente duas vezes ao dia. Além disso, a depender do grau o médico pode optar pelo uso de antifúngicos de via oral.

Gostou deste artigo? Veja mais como estes curtindo nossa página no Facebook: