Síndrome do Hulk: Conheça o Transtorno Explosivo

  • Você disse síndrome de Hulk?
  • Entenda o que vem a ser o Transtorno Explosivo Intermitente
  • O que você precisa saber?

Certamente você conhece o incrível Hulk. Aquele personagem verde, musculoso dos filmes. Mas você sabia que o Hulk, ou incrível Hulk é como uma síndrome ainda pouco conhecida muitas vezes é mencionada? Síndrome de Hulk é a forma como o TEI é conhecido.

Leia mais

Alimentos que você precisa consumir com a casca

Slime caseiro um risco para nossas crianças

Mas o que é Síndrome de Hulk ou TEI?

O TEI é a abreviação do chamado Transtorno Explosivo Intermitente. Transtorno conhecido também por Síndrome do Hulk. Essa síndrome é marcada por episódios, como o nome sugere, de impulsos agressivos que podem se manifestar tanto por meio de atos agressivos (agressões físicas a terceiros, a animais e correlatos). Ou estes atos agressivos presentes na Síndrome de Hulk pode englobar ações verbais de teor agressivo ou ainda incitação a violência. Neste caso alguém com TEI tende a incitar discussões com outras pessoas em um episódio agressivo.

Você deve estar se perguntando nesse momento como a Síndrome de Hulk pode ser identificada já que todos nós passamos habitualmente por um processo de sentir raiva de algo ou de alguém. Veja bem, para portadores do Transtorno Explosivo Intermitente os episódios podem variar em dois níveis. De acordo com o nível apresentado e o número de ocorrências em um dado período de tempo temos o diagnóstico do TEI. Mas calma, vamos explicar isso melhor.

Os níveis do TEI podem ser leves ou moderados onde as ações do seu portador não envolvem agressões propriamente ditas ou a destruição de objetos, por exemplo. Nesse caso para que seja feito o diagnóstico de TEI é necessário que estes episódios ocorram de maneira recorrente. É esperado que estes episódios de impulsos agressivos ocorram de duas a três vezes por semana.

No caso de episódios agressivos em níveis mais graves envolvendo agressões, apenas um ocorrido por ano pode servir para determinar o diagnóstico.

Outra característica que pode determinar o diagnóstico é a magnitude com que estes episódios de raiva ocorrem. Ou seja, no caso de uma pessoa com TEI a reação explosiva é totalmente desproporcional ao motivo pelo qual esse impulso foi gerado. Em caso de agressão este ato não é pensado pelo agressor, simplesmente acontece por meio de um impulso praticamente inexplicável.

O que mais você precisa saber sobre o TEI?

Somente a partir dos seis anos de idade é que um possível diagnóstico de Transtorno Explosivo Intermitente pode ser dado. Isso acontece porque somente após essa idade temos o domínio sobre os sentimentos de agressividade.

O TEI pode estar associado concomitante a outros transtornos psiquiátricos. Todavia, vale aqui uma ressalva, caso os episódios agressivos aconteçam apenas juntamente as manifestações de outro transtorno existente, um diagnóstico de TEI não pode ser dado. Isso acontece porque para que o TEI seja estabelecido é necessário que a causa do episódio agressivo seja sem causa aparente que não um episódio momentâneo de raiva, situação característica dessa síndrome. Alguns episódios de raiva podem ser desencadeados, por exemplo, por conta de situações realmente estressantes ou ainda por conta do uso de drogas. Dessa forma o diagnóstico de Transtorno Explosivo está descartado.

Incidência e problemas ocasionados

síndrome do Hulk

O TEI ou síndrome do Hulk não apresenta métrica sobre o número de portadores do transtorno em nosso país. Contudo, no Estados Unidos os níveis são baixos. Cerca de 2,7% da população apresenta a síndrome em grau leve, moderado ou grave.

Apesar da incidência ser baixa o TEI pode trazer inúmeros problemas para o seu portador. Podemos citar aqui desde problemas pessoas, sociais, financeiros e legais.

Após um episódio agressivo na grande maioria dos casos o indivíduo acaba se ferindo, ferindo alguém ou destruindo algo. O que justificaria os prejuízos que o transtorno apresenta.

O que achou? Dê uma nota:

Avaliação média: 4.8
Total de Votos: 4

Síndrome do Hulk: Conheça o Transtorno Explosivo

Gostou deste artigo? Veja mais como estes curtindo nossa página no Facebook:

Uma resposta para “Síndrome do Hulk: Conheça o Transtorno Explosivo”