Epidemia de sarampo: quais são os sinais da doença?

  • Epidemia de sarampo;
  • Como tratar o sarampo;
  • Vacina contra sarampo.

Quando alguém contrai sarampo, uma das primeiras manifestações do vírus são bem parecidas com uma gripe ou até mesmo com um resfriado.

Remédios caseiros para aliviar a cólica menstrual sem estresse

Veja 3 alimentos trunfos para controlar o apetite no inverno

Esses sintomas iniciais surgem em até 14 dias depois – que é o tempo de janela imunológica do vírus – de entrar em contato com alguém com sarampo.

Como os sintomas são muito simples e bastante comuns, é bem normal que eles sejam ignorados e tratados em casa, mas com a difícil melhora e o aparecimento das manchas vermelhas, típicas e tradicionais do sarampo, aparecem, o desespero pode tomar conta.

Como essas manchas são os veículos do sarampo, elas podem aparecer à noite. A pessoa infectada pode se coçar e, a partir disso, espalhar as manchas pelo corpo todo.

O sarampo é uma doença infectocontagiosa importante, que pode causar rapidamente uma séria epidemia em nosso país. Com dois graves fatores associados – pessoas que deixam de vacinar seus filhos e falta de vacina em postos de saúde -, podemos em breve ter dados ainda mais alarmantes sobre o desenvolvimento da doença.

Como ela é uma doença viral que só tem como antídoto a vacina, bebês que não a receberam e adultos não imunizados podem contrair o sarampo e muitas vezes ele pode deixar sequelas ou ser fatal. Portanto, não deixe nunca de cumprir o calendário de vacinação.

Isso, além de um ato de amor e cuidado, é também um ato de cidadania e responsabilidade.

Quais são os principais sintomas do sarampo?

O sarampo, como dissemos, costuma ter seus primeiros sintomas bem parecidos com uma gripe ou um resfriado forte e só depois de sua manifestação é que as manchas vermelhas que o caracterizam começam a aparecer.

Depois dessa manifestação, os sintomas podem ser:

  • Febre alta – acima de 38° C;
  • Dor de garganta e tosse seca, sem muco;
  • Dores musculares fortes e cansaço excessivo;
  • Manchas avermelhadas na pele que se espalham pelo corpo e não tem relevo;
  • Manchas vermelhas que não coçam;
  • Pontinhos brancos, tais como espinhas, dentro da boca, na região da bochecha;
  • Olhos avermelhados.

Como saber se é mesmo sarampo

Quando qualquer suspeita de doença infectocontagiosa for levantada, é muito importante que imediatamente se passe a evitar o contato com a pessoa infectada.

Isso tem uma explicação lógica e absolutamente racional: se a pessoa infectada entrar em contato com uma pessoa imunizada, ela se tornará um veículo do vírus, ainda que ele não se manifeste nessa pessoa. Ela pode entrar em contato com pessoas com deficiências imunológicas sérias e causar complicações.

Ou, se a pessoa infectada entrar em contato com pessoas não imunizadas, o estrago pode ser ainda maior, já que o sarampo irá se propagar, causando mais uma vítima.

Assim, caso exista qualquer possibilidade de entrar em contato com uma pessoa infectada, é muito importante que se use máscara ou um pano limpo para sempre tapar a boca, já que a doença é facilmente transmitida através do espirro ou da tosse.

É também muito impontante para que se tenha um diagnóstico seguro do que realmente é a doença procurar rapidamente um pediatra se a pessoa acometida for uma criança ou um clínico geral caso seja um adulto, porque eles também podem investigar se a doença manifestada não pode ser uma outra do tipo infectocontagiosa.

Como pode ser feito o tratamento de sarampo

O tratamento do sarampo é feito com remédios que possam aliviar as dores e a febre causada pelo vírus, já que não há exatamente um antibiótico capaz de tratar a infecção, que deve passar em alguns dias. Desde que monitorada a febre e controlada a temperatura da pessoa acometida, a doença deve passar rapidamente.

O perigo consiste em tentar tratar a doença em casa, sem atentar aos medicamentos indicados por especialistas, o que pode complicar muito o caso da pessoa acometida, fazendo com que a febre aumente ao ponto de gerar convulsões – o que é extremamente perigoso para o cérebro.

No entanto, depois de comprovada a doença, além dos medicamentos podem ser usadas compressas frias para poder fazer com que a dor de cabeça passe e a febre seja reduzida.

A vacina contra o sarampo faz mal?

Não há qualquer estudo comprovado que ligue doenças como autismo ou síndrome de Guillain-Barré que associem de fato o ato de vacinar ou ser vacinado com o desenvolvimento das moléstias.

E se não há efetivamente qualquer doença associada, por que se alarda tanto para que não se vacinem crianças e grupos de risco?

Isso se deve, sobretudo, à desinformação e a propagação rápida de notícias cuja fontes não são comprovadas ou mesmo se pautam em um estudo científico.

É por essa razão que precisamos ser cautelosos ao decidir compartilhar uma notícia que parece ser verdadeira, mas que nem sempre é. Isso pode ter sérias consequências e comprometer até mesmo vidas.

Gostou deste artigo? Veja mais como estes curtindo nossa página no Facebook:

2 respostas para “Epidemia de sarampo: quais são os sinais da doença?”

  1. […] Epidemia de sarampo: quais são os sinais da doença? […]