O que fazer em casos de violência contra o idoso?

  • Violência contra o idoso;
  • O que é a violência contra o idoso;
  • Como denunciar a violência contra o idoso.

Hoje, no Brasil, violência contra o idoso é tratado como crime. E, como tal, deve ser tratado com muita seriedade, já que são muitas as formas com que a violência acontece e muitas as maneiras que temos de verificar indícios de que ela ocorre ou já ocorreu.

Saiba mais

Conheça um pouco mais do angustiante distúrbio paralisia do sono

Não desperdice as folhas verdes! Aprenda a fazer molhos

E como a população brasileira está envelhecendo, é sempre legal termos as informações necessárias para tanto verificar o caso de violência quanto também para denunciá-lo, já que ela pode atingir pessoas próximas a nós e vinda de vários lugares, desde um familiar até um cuidador.

O que pode ser considerado como violência contra o idoso?

A agressão, como bem sabemos, nem sempre pode ser considerada só aquela que ocorre por meio da violência física.

Ela pode também ser verbal, psicológica, emocional, sexual e até mesmo financeira. E o meio pelo qual ocorre também pode ser muito diverso, pois pode ocorrer via abandono afetivo, falta de respeito para com o o idoso, negligência ao tratar de sua saúde ou até mesmo através do que é chamado de corrupção da dignidade.

A Organização Mundial da Saúde trata essas questões como aquelas que podem caracterizar formas de violência contra o idoso e não ocorrem somente no âmbito familiar, já que são muitas as instituições que apoiam a pessoa idosa, como clínicas, hospitais e centros de convivência.

O que fazer quando se nota que um idoso sofre violência?

É muito importante manter-se atento, principalmente quando a pessoa idosa começa a apresentar queixas físicas que nem sempre tem fontes realmente advindas de problemas relacionados à saúde. Essa, assim como é com as crianças, costuma ser a primeira forma de demonstrar que algo não está indo bem.

Quando o idoso convive com cuidadores, frequenta constantemente clínicas ou centros de convívio, é muito importante analisar seu estado emocional e psicológico quando vai e volta desses ambientes. E, mais do que importante, é sempre criar vínculos fortes para que sempre haja para ele formas de se comunicar.

O que podemos fazer para evitar a violência contra a pessoa idosa?

É muito importante que exista sempre a promoção do convívio social e uma forma muito interessante é criar formas de que gerações diferentes possam interagir.

Assim, programas integracionais entre crianças e idosos, por exemplo, pode ser uma importante forma de criar formas de empatia. Uma vez que a população vai se tornando cada vez mais velha, é absolutamente importante criar formas que assegurem uma relação de respeito, amor e dignidade entre as mais diferentes faixas etárias.

Quais são os dados da violência

Estima-se que apenas no ano de 2017 pelo menos uma em cada seis pessoas com 60 ou mais anos tenha sofrido algum tipo de abuso, o que pode ser considerado já como um problema de saúde pública. E isso, infelizmente, tende a se agravar.

Em nosso país já se estima que existam mais de 30 milhões de idosos contra 900 milhões existentes no mundo. Estima-se também que até o ano de 2031 haverá mais idosos do que adolescentes vivendo por aqui, superando também o número de crianças.

O que pode ser considerado abuso?

A violência, como falamos, pode ser vista e notada de diversas maneiras, mas algumas formas chamam muito a atenção. Veja:

  • Abuso psicológico

Quando o idoso passa a ser tratado como um peso para seus familiares e passa a receber palavras que desencorajam sua vida emocional saudável.

Ele passa a ter um comportamento cada vez mais inseguro, podendo ter episódios severos de depressão.

  • Abandono afetivo

Quando a pessoa idosa passa a ser sistematicamente isolada de seus familiares, passando a viver uma vida solitária.

Não é raro que a depressão e outras doenças possam acompanhar esses casos. Em instituições de assistência permanente à pessoa idosa, são muitos os casos daqueles que são abandonados pelos familiares, passando a conviver somente com aqueles outros que vivem no centro de convivência.

  • Abuso financeiro

Esse tipo de abuso pode ser muito singular e muito sutil. É quando a pessoa idosa tem seus bens, posses ou rendimentos subtraídos por aqueles que deveriam cuidar dela.

Pode existir enquanto a execução de dívidas em nome do idoso, subtração de verbas de aposentadoria ou até mesmo em medidas nefastas, como exigência de “presentes” ou coisas do tipo.

  • Comprometimento da dignidade

Não é raro que o idoso situado nessas circunstâncias de violência viva uma vida precária, como sendo a ele reservado um ambiente doméstico desvinculado do lar, por exemplo. Ou como quando esse abuso está vinculado ao abuso financeiro, que é quando ele passa a se apresentar de forma inapropriada, seja com vestes, ou aspecto.

O que fazer quando notamos o abuso?

O Disque 100 é um telefone direto da Secretaria de Direitos Humanos e está disponível 24 horas por dia para acolher denúncias e fazer orientações que possam assegurar vida digna para as pessoas.

O que achou? Dê uma nota:

Avaliação média: 4.67
Total de Votos: 3

O que fazer em casos de violência contra o idoso?

Gostou deste artigo? Veja mais como estes curtindo nossa página no Facebook:

2 respostas para “O que fazer em casos de violência contra o idoso?”

  1. […] O que fazer em casos de violência contra o idoso? […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *