9 Coisas Que Podemos Aprender Com Os Japoneses E Suas Casas

  • Hábitos dos japoneses em casa;
  • Cultura japonesa;
  • Decoração japonesa.

Com sua cultura admirada no mundo todo, os japoneses possuem hábitos bastante peculiares ao lidar com suas casas.

Para se livrar das energias negativas, uma receita infalível

Tudo sobre suculentas para você começar a cultivá-las

Hoje trazemos para vocês algumas das coisas que podemos aprender com eles para termos uma vida muito mais saudável, seja em nossa casa, seja em nossa própria saúde mental, que tem tudo a ver, convenhamos, com o nosso lar.

Então fique ligado aqui nas nossas dicas se você também adora essa cultura milenar que tanto tem a nos ensinar sobre como viver muito melhor, sempre!

Quer viver melhor em sua casa? Os japoneses tem muito a nos ensinar!

Tire sempre os sempre os seus sapatos antes de entrar na sua casa

Um dos hábitos mais reconhecidos nesse lado do mundo como oriental, tirar os sapatos que você estava usando na rua antes de entrar no seu lar pode ser muito interessante. É um ato de carinho com todos que habitam esse seu micro mundo, já que as sujeiras todas da rua acabam ficando de fora da sua casa.

Para quem não tem nem ideia, nas casas mais tradicionais do Japão existe até mesmo um cômodo bem perto da porta de entrada da casa, que é chamado de genkan. Ele é, geralmente, feito em um pavimento um pouco mais baixo do que o da casa, e é um lugar para tirar os sapatos usados na rua.

Ali também costuma-se colocar alguns chinelos que são feitos exclusivamente para serem usados dentro de casa e geralmente também são disponibilizados alguns pares para visitantes. E se você acha que isso termina em casa, está enganado. Eles também são muito comuns em templos, escritórios e escolas.

As medidas dos apartamentos são dadas já na hora do anúncio – clareza é bem importante

Quando você vai se aventurar pelo Japão e começa a procurar um apartamento para morar, sempre se depara com peculiaridades bem interessantes. Eles são anunciados com siglas do tipo 4LDK ou, por exemplo, 1LDK.

Essa combinação de letras e números tem a ver com qual o número de quartos, salas sociais, sala de jantar e cozinha, mas vale lembrar que por lá é muito comum atribuir várias funções para cada cômodo, integrando-as.

Existe também um outro tipo de medida, que é a quantidade de tatamis que cada cômodo tem. Isso recebe o nome de jou, e aí falamos: o quarto tem 4 jou, ou seja: pode ser ocupado por pelo menos quatro tatamis. Essas peças costumam ter, em média, 1,65 m².

Tatamis e futons são uma realidade que dispensa camas

As novas gerações podem até ter optado por dispensar os futons, mas nas casas mais tradicionais dormir em camas é algo ainda bem absurdo. E isso tem uma justificativa muito prática: quanto mais móveis dentro de uma casa, menor o espaço de circulação dela.

Então é por isso que nos quartos – que quase sempre são forrados com tatamis no chão, encontramos futons ao invés de camas. Assim, à noite, antes de dormir, é só estender o futon e aí dormir sobre eles. Tão logo o dia amanhece, eles só guardam a espécie de colchão no armário ou deixam arejando no sol.

Isso resolve bem a questão do espaço, pois ele só é ocupado durante a noite e no resto do dia o espaço fica disponível para outras atividades.

 

Para economizar espaço, as portas de correr são uma boa opção

As tradicionais portas de correr típicas das casas japonesas são geralmente feitas de bambu e forradas com papéis translúcidos, permitindo que a luz de um cômodo também invada outro, aproveitando ainda mais os espaços.

E isso também é interessante para conseguirem também aproveitar os espaços, uma vez que, quando aberta a porta, um cômodo vira a continuação do outro. Mas para resolver isso, basta que alguém feche a porta para ter sua privacidade garantida.

E as portas de correr ainda também economizam espaços, pois não carecem de espaço interno que acaba sendo inutilizado com as portas aqui do ocidente.

 

Ter poucos móveis garante mais praticidade e mais espaço interno em casa

As pessoas que moram em apartamentos mínimos no Japão costumam ter poucos móveis, o que torna a vida muito mais prática e acaba por economizar muito mais espaço.

E isso quer dizer que, tão comum quanto não ter uma cama no quarto, é também não ter nenhuma mesa ou cadeira específica para o jantar. A mesa de jantar, geralmente, é baixa e você precisa sentar no chão para poder comer. No entanto, essas mesas, por mais diminutas que sejam, podem ser muito inovadoras.

É comum encontrar em casas mais interessadas na tecnologia uma mesinha com uma espécie de manta em volta dela. Isso serve para que as pessoas possam colocar as pernas embaixo da mesa, que acaba emanando calor e mantendo todo mundo quentinho.

A parte legal disso é que, como o frio é muito intenso no Japão, todo mundo acaba se aquecendo e podendo comer confortavelmente.

O que achou? Dê uma nota:

Avaliação média: 4
Total de Votos: 2

9 Coisas Que Podemos Aprender Com Os Japoneses E Suas Casas

Gostou deste artigo? Veja mais como estes curtindo nossa página no Facebook:

2 respostas para “9 Coisas Que Podemos Aprender Com Os Japoneses E Suas Casas”

  1. […] 9 Coisas Que Podemos Aprender Com Os Japoneses E Suas Casas […]

  2. […] 9 Coisas Que Podemos Aprender Com Os Japoneses E Suas Casas […]