Entenda Quais São Os Riscos De Usar Medicamentos Para Dormir Sem Recomendação Médica

A gente sabe que dormir bem é um privilégio de poucos nesses tempos, mas você sabe quais são os riscos de consumir medicamentos sem recomendação médica?

Treina pesado, mas não emagrece? Entenda porque

Você Quer Emagrecer? Durma Bem! Veja Três Dias Importantes Para Te Ajudar

Com o estresse do dia-a-dia, férias, problemas financeiros e ainda os processos de envelhecimento naturais do tempo, consumir medicamentos controlados se tornou mais comum do que pensamos. Basta um momento de  conversa franca com amigos, parentes e colegas de trabalho para entender quão comum é hoje esse tipo de consumo.

No entanto, mesmo sabendo que dormir é um remédio indispensável para a nossa vida, ainda mais quando nesses momentos, é importante lembrar que é sempre muito importante passar pela consulta médica com psiquiatra ou mesmo um médico da família.

É essencial que sempre se verifique históricos de doenças, tanto as familiares quanto as mais comuns de acordo com a idade e com o ambiente em que se vive, uma vez que todo consumo de medicamentos tem efeitos colaterais, bem como interações medicamentosas importantes, que podem afetar de forma complicada a saúde de quem consome.

A idade e os medicamentos para dormir

De acordo com uma pesquisa da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, se observa que as noites de insônia acomete pelo menos 65% dos mais de dois mil idosos ouvidos no estudo e acompanhados durante o período do levantamento.

A pesquisa também aponta que, esses 65% dos acometidos pela insônia, também entendem que o mal estar é natural com o passar da idade, observando que a cada ano avançado causou também perda de horas de sono.

E ainda há outro dado mais do que alarmante: deles, menos de 50% falam com os médicos ou mesmo consideram importante falar sobre a dificuldade para dormir e outros 24% consomem ou já consumiram remédios ditos naturais para poder dormir.

E o pior: embora seja um cenário considerado comum – dado que é quando somos idosos que temos de lidar com problemas como incontinência urinária, dores crônicas e ainda outras situações que atrapalham o sono -, são poucas as pessoas que o entendem como um problema de saúde, ou mesmo uma dificuldade que pode ser diminuída com a ajuda médica.

Dado esse contexto alarmante, a automedicação aparece como uma solução fácil, mas ao mesmo tempo absolutamente perigosa, ainda que seja um chá ou um remédio dito natural. E é observada dessa forma por ela estar relacionada com o aumento de riscos de queda, dependência química e outros efeitos que não são esperados, uma vez que só mesmo um médico pode considerar os efeitos cruzados de medicamentos.

Assim, não importa se é remédio controlado, remédio com outra função ou aquele chá que está na família desde sempre: todos os medicamentos exigem orientação médica. Isso é indispensável para a manutenção da saúde e tudo é importante de ser levado ao conhecimento do seu médico.

Entenda: quais são os tipos de medicamentos que oferecem risco

Remédios hipnóticos

Geralmente são recomendados para potencializar a indução ao sono, mas quando não são bem utilizados ou acabam por interagir com outros medicamentos, podem prejudicar a atenção e colocar em risco a vida de quem dirige ou mesmo daqueles que operam maquinários.

Assim, é importante passar por um médico especialista e somente utilizar com recomendação dele, uma vez que os efeitos desse medicamento perduram mesmo após o despertar de quem o consumiu.

Medicamentos ansiolíticos

Esses são sempre recomendados para aquelas pessoas que não conseguem relaxar antes de dormir, ou mesmo para quem sofre com sintomas de ansiedade, euforia ou depressão.

O problema de tomar os remédios dessa classe farmacológica é que eles aumentam a sonolência de forma muito acentuada e podem causar quedas quando a pessoa já possui algum tipo de propensão a elas.

Ademais, ainda também existe a potencialização de problemas respiratórios durante o sono, tais como apneia.

 

E os medicamentos naturais também trazem riscos

Valeriana

Quando ela for usada de forma combinada com outros remédios ansiolíticos, ela acaba por ter ação diurética, o que faz com que o paciente que a use possa ter quedas de pressão repentinas quando não há acompanhamento médico.

Isso pode agravar ainda mais problemas de saúde pré-existentes, como, por exemplo, labirintite.

Melissa

Há quem ache que esse chá é o que melhor induz ao sono, mas ela pode, dependendo da quantidade, ter efeitos mais estimulantes do que calmantes. Assim, quando em uma crise de euforia, por exemplo, o paciente pode ter um quadro agravado por conta do consumo do chá.

Camomila

Dada a função diurética, esse chá também pode potencializar o mal estar, uma vez que o paciente pode acabar por despertar mais vezes durante a noite para ir ao banheiro.

Maracujá

E até o queridinho de todo ansioso pode ter seus dias contados: ele acaba por ter função tão estimulante quanto o desejo de ser relaxante. Isso se deve ao efeito combinado com outros tipos de medicamentos.

Gostou deste artigo? Veja mais como estes curtindo nossa página no Facebook:

3 respostas para “Entenda Quais São Os Riscos De Usar Medicamentos Para Dormir Sem Recomendação Médica”

  1. […] Entenda Quais São Os Riscos De Usar Medicamentos Para Dormir Sem Recomendação Médica […]

  2. […] Entenda Quais São Os Riscos De Usar Medicamentos Para Dormir Sem Recomendação Médica […]

  3. […] Entenda os riscos e perigos da automedicação […]