Saiba mais sobre o beneficiamento da fibra de bananeira para fazer artesanato

O beneficiamento da fibra de bananeira vem gerando renda a artesãs que moram na Comunidade Chã da Jaqueira, em Atalaia, no estado de Alagoas.

A atividade envolve universitários e moradores do local. A informação é da Agência Sebrae de Notícias.

O que antes virava lixo, agora se transforma em utensílios e objetos como lixeiras, pastas, caixas, buquês de flores, entre outros. Esse é o Fibra Chã, criado a partir do projeto de extensão Beneficiamento da Fibra da Bananeira na Comunidade da Chã da Jaqueira em Atalaia (AL). A iniciativa recebeu o Prêmio Santander Universidade Solidária, em 2012. Os artesãos foram beneficiados com recursos da ordem de R$ 100 mil para a compra de máquinas, equipamentos e materiais. Agora, os alunos e professores que atuam no projeto buscam o apoio do Sebrae em Alagoas.

O projeto envolve alunos de vários cursos do Centro Universitário Cesmac, como Arquitetura e Urbanismo, Administração, Direito, Publicidade e Propaganda e Psicologia. Os alunos são preparados para repassar às artesãs do Fibra Chã o que aprendem na Academia, capacitando-as para suas atividades e o mercado de trabalho. Entre as ações interdisciplinares feitas pelos estudantes está o desenvolvimento das peças e do design, em conjunto com os alunos de Arquitetura e Urbanismo.

Além de ser premiado e virar referência nacional, o projeto originou o 1º Workshop sobre Empreendedorismo, que levou membros da comunidade de Atalaia a conhecerem o curso de Arquitetura e Urbanismo do Cesmac. Outra ação importante foi a visita ao projeto Mulheres de Fibra, em Maragogi, apoiado pelo Sebrae, ocasião em que houve troca de experiências e contatos entre as artesãs.

E para trazer ainda mais benefícios e reconhecimento para o grupo de artesãs, os diretores do Cesmac reuniram-se com a diretoria do Sebrae em Alagoas para buscar uma parceria com a instituição por meio do projeto Turismo em Maceió e Entorno e, assim, garantir apoio nas questões que envolvem comercialização, gestão e formalização.

Hannah Melo, professora do curso de Arquitetura e coordenadora do projeto de extensão, afirma que, com o apoio do Sebrae, as artesãs poderão organizar melhor as suas atividades, com capacitações na área de produção, formação de preços e assessoria técnica. Depois disso, o Fibra Chã poderá conquistar espaço em feiras e eventos renomados e, no futuro, “caminhar com as próprias pernas”. “O objetivo final é fazer com que as artesãs tenham a capacidade de produzir, estruturar e vender seus trabalhos sozinhas, gerando emprego e renda para a comunidade da Chã da Jaqueira”, acredita a coordenadora.

Serviço:
Sebrae em Alagoas (82) 4009-1660
www.al.agenciasebrae.com.br
Central de Relacionamento Sebrae: 0800 570 0800

Fonte Agência Sebrae de Notícias

Gostou deste artigo? Veja mais como estes curtindo nossa página no Facebook: