22ª Feira Nacional de Artesanato movimentou R$ 85 milhões

Como sempre após um evento anunciado no Arteblog, retornamos com os resultados obtidos, para mostrar que mais que um hobbie o artesanato pode e deve ser encarado como um negócio rentável. O volume de negócios realizados durante o evento superou as expectativas e gerou bons resultados para os artesãos.

A 22ª edição da Feira Nacional de Artesanato (22ª FNA) – realizada entre os dias 22 e 27 de novembro, noExpominas, em Belo Horizonte -, gerou negócios da ordem de R$ 85 milhões para os artesãos. Este montante representa uma alta em torno de 12% ante o ano anterior quando registrou R$ 76 milhões em vendas. Segundo a realizadora da feira e presidente do Instituto Centro Cape (ICCAPE), Tânia Machado, mesmo com volume menor de público presente este ano, a alta no tíquete médio dos compradores impulsionou os negócios nesta edição do evento.

De acordo com ela, o tíquete médio dos lojistas em 2011 foi de quase R$ 3,6 mil ante os R$ 2,6 mil do ano anterior, comparou. Por sua vez, o valor médio gasto pelo visitante também apresentou alta, saltando de R$ 269,42 em 2010 para R$ 322,37 neste ano. Neste contexto, o reflexo foi sentido diretamente pelo expositor, que teve sua renda alavancada de R$ 10,8 mil no ano anterior para R$ 13 mil em 2011. “Mesmo com uma redução no número de visitantes, provavelmente ocasionada pelo volume de chuvas no período, os consumidores que foram ao evento estavam dispostos a comprar”, salientou.

Durante o evento compareceram cerca de 150 compradores internacionais, os quais negociaram cerca de US$ 1 milhão e deverão gerar outros US$ 3 milhões em negócios realizados com os artesãos nos próximos 12 meses. Dentre os compradores, quatro deles vieram através do Projeto Comprador, uma parceria do Instituto Centro Cape com a APEX – Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos) e Abexa (Associação Brasileira de Exportação de Artesanato). Vieram lojistas dos Estados Unidos, França, Portugal, Bolívia, Bangladesh, Espanha, Alemanha, dentre outros.

Um termômetro com relação ao volume de negócios realizados pelos expositores foi a abertura da comercialização dos estandes para a 23ª Feira Nacional de Artesanato, que acontecerá entre os dias 4 e 9 de dezembro de 2012. Durante o evento foram postos à venda 565 estandes para a próxima edição e, destes, mais de 50% já foram comercializados. De acordo com Tânia Machado, esta mudança de data será estratégica para os expositores. “Os visitantes poderão ir à feira com o 13º salário no bolso, o que poderá impulsionar mais as vendas”, explicou.

Eventos paralelos – Pela primeira vez, as inscrições para concorrer ao prêmio Sebrae Top 100 de Artesanato foram realizadas durante a Feira Nacional de Artesanato. Este prêmio tem como objetivo reconhecer e valorizar o trabalho realizado por artesãos de todo o país, selecionando as 100 unidades produtivas mais competitivas do Brasil. O prêmio finalizou as inscrições em um estande montado na feira e superou as expectativas em mais de 20%. Inicialmente eram esperadas cerca de 1000 adesões.

Pelo terceiro ano consecutivo a Feira Nacional de Artesanato realizou o projeto Carbono Neutro, que consiste em equilibrar por meio do plantio de árvores, todo o monóxido de carbono emitido durante o evento. No ano anterior, para compensar a emissão dos gases do efeito estufa, foram plantadas 132 árvores. A Feira Nacional de Artesanato também cedeu um espaço a Associação Mineira de Defesa do Ambiente (Amda) para recolher assinaturas contra as modificações do Código Florestal Brasileiro. Desde a 14ª edição a Feira Nacional de Artesanato realiza o programa Resíduo Zero, que tem como meta reciclar todos os materiais que foram produzidos durante o evento e que podem ser reutilizados em algum ponto da cadeia produtiva artesanal, transformando-os em novos produtos.

A feira mal terminou e alguns artesãos já começaram a se inscrever, para terem os produtos avaliados, objetivando participar do projeto Meu Primeiro Evento. Esta área doada, que agrupa cerca de 100 estandes, é dedicada aos artesãos que nunca participaram de um evento do setor e precisam de algum estímulo para conhecer o mercado e avaliar a receptividade dos produtos junto ao público consumidor. Dos artesãos que participaram da 22ª FNA, mais de 15 já compraram estande para participar da próxima edição.

Mais uma vez agradecemos a Anne, da Assessoria de Imprensa o envio dos dados para divulgação. 

Em 2011 passaram pelos pavilhões do Centro de Exposições George Norman Kutova (Expominas) cerca de 165 mil pessoas nos seis dias de evento. Este volume de público foi cerca de 9% menor em comparação com o ano anterior. No primeiro dia do evento, dedicado ao lojista, a redução também ocorreu. Ao invés de 10 mil lojistas como era esperado neste dia (22/11), estiveram presentes cerca de 8 mil. “O que compensou essa queda foi a alta no tíquete médio destes públicos”, ponderou Tânia Machado.

Gostou deste artigo? Veja mais como estes curtindo nossa página no Facebook:

Por: Cláudia RamiresEm: dezembro 13, 2011 | Em Feiras e eventos, Geral  | Tags: ,